Aprenda divisão silábica de uma vez por todas

Aprenda divisão silábica de uma vez por todas

Pode parecer engraçado, mas este é um dos temas que mais gera dúvida no falante da língua portuguesa. “E por que isso é engraçado, professor?” Simplesmente porque, após iniciarmos nosso processo de alfabetização, a divisão silábica está entre os primeiros conteúdos com os quais temos contato. Aprendemos a dividir uma palavra em sílabas quando ainda somos extremamente jovens e, quando nos tornamos adultos, ficamos com a sensação de nunca ter aprendido isso. É engraçado termos mais dificuldade naquilo que é considerado mais básico, não é mesmo? A partir de hoje, proponho a você ler este post, um guia rápido e prático, e nunca mais ter dúvidas a respeito! Vamos começar?

O que é divisão silábica?

É a separação das sílabas que formam as palavras. É importante ressaltar que as sílabas se organizam em torno de uma vogal, que acaba sendo parte fundamental deste “conjunto de letras”. Tal afirmação nos leva a reconhecer que não existe sílaba sem vogal. 

Como separar as sílabas de uma palavra?

Pronunciar a palavra na hora de separar suas sílabas ajuda bastante, mas não resolve tudo, visto que há regras que precisam ser consideradas. Existem algumas dicas que podem te ajudar. Preste atenção e veja como é fácil!

Não podemos separar ditongos e tritongos, aqueles encontros vocálicos de, respectivamente, duas e três vogais. O nome já diz tudo: encontro vocálico. Isso significa que, nestes casos, diante da separação silábica, as vogais devem ficar na mesma sílaba. Exemplo: á-gua (ditongo); Pa-ra-guai (tritongo).

Também não separamos os dígrafos, aquela famosa sequência de duas letras que forma apenas um som. Mas cuidado, os únicos dígrafos que não separamos são: lh, ch, nh, gu, qu. Casos como ss e rr e outros que veremos adiante precisam ficar em sílabas diferentes. Veja.

 

A-ga-sa-lho

Chu-va

Ca-mi-nho

Guin-cho

Quen-te

Missa

Carr

Não separamos os chamados encontros consonantais puros, também conhecidos como “perfeitos”. Eles ocorrem quando as consoantes ficam juntas. Alguns casos: bl, cl, gl, pl etc. Observe:

Blu-sa

Cla-va 

Gló-bu-lo

Plás-ti-co

 

Na última dica sobre O QUE NÃO SEPARAR, citamos os encontros consonantais iniciais, aqueles que compõem o início da palavra. Exemplos: pneumático (pneu-má-ti-co), psicólogo (psi-có-lo-go).

Agora, veja algumas dicas sobre o que PODEMOS SEPARAR. 

Em primeiro lugar, temos os hiatos, aqueles encontros vocálicos em que, durante a separação silábica, as vogais acabam ficando em sílabas diferentes. É o caso de palavras como saú-de, poe-sia, na-vio, dia

Além dos dígrafos rr e ss, separamos sc, sç, xc, xs. Leia: nascer, cresça, exce-ção, exsu-flar. 

Por fim, separamos os encontros consonantais disjuntos, também chamados de “imperfeitos” justamente por serem colocados em sílabas diferentes. Exemplos: ritmo, magné-ti-co, força, obje-to.

 

Durante a divisão silábica, é possível que observemos três aspectos das sílabas: a classificação quanto à quantidade de sílabas, quanto à tonicidade e com relação à posição da sílaba tônica. Vamos conferir cada caso. 

Classificação quanto ao número de sílabas

Monossílaba: quando a palavra possui apenas uma sílaba. Exemplo: sol, mel. 

Dissílaba: quando a palavra é formada por duas sílabas. Exemplo: roupa, blusa. 

Trissílaba: quando a palavra é composta por três sílabas. Exemplo: cavalo, soldado.

Polissílaba: é a palavra formada por quatro sílabas ou mais. Exemplo: portuguesa, dicionário, literatura. 

 

Classificação quanto à tonicidade

Sílaba tônica: aquela que, quando pronunciada, mostra-se mais forte que as demais. Exemplo: cri-se. 

Sílaba átona: possui menos força no momento da pronúncia. Exemplo: cri-se.

 

Classificação quanto à posição da sílaba tônica

Oxítona: palavra em que a última sílaba é tônica. Exemplo: vi-a-jar; Tau-ba-.

Paroxítona: palavra em que a penúltima sílaba é tônica. Exemplo: ca-ra-me-lo; mar-te-lo.

Proparoxítona: palavra em que a antepenúltima sílaba é tônica. Exemplo: -si-ca; pás-sa-ro. 

 

Muito fácil, não é mesmo? Com este guia prático e objetivo, acabamos de voltar à infância, relembrando conteúdos dos nossos primeiros anos do Ensino Fundamental, aqueles que aprendemos muito cedo, mas que são importantes durante toda a vida. 

Continue acompanhando nosso blog, ainda há muita coisa interessante por vir!

Abraços e bons estudos!


BANNER-EBOOK-GUIA-ENEM-2019

Compartilhar:

9 comentários

  1. excelente explicação, muito bom mesmo.

  2. O professor sr tem que ter simulado na sua plataforma com muitas questões muitas mesmo…
    ae vai ficar a melhor plataforma de Port.

  3. Gosto muito de sua maneira de ensinar. É muito divertido! Parabéns!

  4. Muito bom , concordo em ter mais simulados de provas .

Deixe uma resposta