Quais são as competências avaliadas na redação do Enem?

Se você vai fazer o Enem neste ano, já deve saber que essa é uma prova diferente. Muito menos focada em “decoreba” do que outros exames, trata-se de um teste exigente, que demanda do candidato boa capacidade de interpretação e problematização de temas diversos, bem como a habilidade de relacionar todas as disciplinas que aprendeu ao longo da vida escolar.

Essa lógica interdisciplinar permeia toda a prova objetiva, e com a redação não seria diferente. Isso porque o Enem exige a produção de um texto do tipo dissertativo-argumentativo, em que se deve dissertar e defender uma tese sobre o tema proposto, sempre baseado em argumentos coerentes e consistentes, além de sugerir uma proposta de intervenção exequível.

Durante a correção, a banca divide a avaliação das redações em critérios simples e diretos. São as chamadas competências, que ao todo são cinco. Cada uma delas vale de 0 a 200 pontos, que somados podem atingir a nota mil.

Portanto, para se dar bem no Enem, é muito importante que você conheça essas competências e oriente seu texto com base nelas. Sendo assim, hoje vamos explicar o que elas avaliam e ajudar você a se preparar melhor para o exame. Vamos lá?

Competência I – Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa

A primeira competência diz respeito ao domínio da modalidade escrita formal da Língua Portuguesa. Ou seja, nela, são considerados os critérios relacionados às regras gramaticais e à sintaxe, sendo que ambos contribuem para fluidez da leitura.

A ideia aqui não é escrever como um gênio da literatura ou sair utilizando palavras difíceis, mas, sim, se esforçar ao máximo para fazer um texto adequado à norma-padrão. Isso quer dizer, então, que é preciso atentar para os seguintes aspectos: ortografia, acentuação, pontuação, concordância, regência, escolha vocabular, uso de letras maiúsculas e minúsculas, separação silábica, etc. É necessário, também, evitar o uso de marcas de oralidade, expressões informais, abreviações e gírias.

Competência II – Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa

Nessa competência, você deve demonstrar, ao longo do texto, que entendeu a proposta no que se refere ao tipo “dissertativo-argumentativo” e ao tema. Grosso modo, a dica é “faça o que foi pedido”, principalmente porque o não atendimento a esses dois aspectos pode anular sua redação.

Desde o início, já deixe claro que você domina a estrutura pertinente ao gênero “dissertativo-argumentativo”: introdução, desenvolvimento e conclusão. Ou seja, disserte e defenda seu ponto de vista sobre o tema abordado, argumente de forma consistente e, por fim, apresente a proposta de solução.

Na argumentação, mostre que você sabe relacionar diferentes áreas do conhecimento. O ideal é não ficar apenas em cima do que apresentam os textos motivadores, mas, sim, mobilizar as informações adquiridas ao longo de sua vida escolar para desenvolver seus argumentos.

Para isso, é importante se organizar antes de começar a escrever. Estruture suas ideias e argumentos antes de colocá-los no papel.

E o principal: cuide para não tangenciar ou fugir do tema proposto! Esse é um dos principais problemas identificados nas redações, que faz com que muitos candidatos percam pontos importantes.

Competência III – Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista

A terceira habilidade diz respeito à argumentação e à construção de sentido ao longo texto.

Os argumentos apresentados devem ser bem selecionados, interpretados e baseados em fatos concretos, verdadeiros e comprovados. Para isso, estatísticas, pesquisas, citações, comparações e alusões históricas são muito bem-vindas. Por outro lado, jamais se baseie em “achismos” ou no senso comum.

Ademais, exponha suas ideias de forma organizada e coerente e aborde somente aquelas que sejam pertinentes ao tema proposto e que contribuam para justificar a posição assumida por você no decorrer da redação.

Competência IV – Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação

O foco da quarta competência é a coesão textual. Você deve demonstrar o domínio dos recursos linguísticos que contribuem para a construção de um texto coeso e que faça sentido. Empregue frases e parágrafos bem estruturados e que estabeleçam uma relação lógica e harmoniosa entre si.

Aqui, também é importante que você planeje bem seu texto, a fim de que  possa escolher recursos coesivos diversificados e adequados. Tenha sempre em mente que você deve produzir um texto organizado, cujas ideias sejam de fácil compreensão. Nesse sentido, preposições, advérbios, conjunções e locuções adverbiais são ferramentas importantes para a coesão textual.

Competência V – Elaborar uma proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos

A quinta competência avalia a proposta de intervenção para o problema indicado no tema da redação.

Na conclusão do texto, você deve expor sugestões de solução para tudo aquilo que foi discutido anteriormente, reforçando seus argumentos e sempre respeitando os direitos humanos e valores como liberdade e diversidade.

O principal é que sua proposta de intervenção seja concreta, exequível e bem detalhada. Para tanto, indique a ação (o que), o agente (quem), o modo de realização (como) e quais são os efeitos/resultados esperados (para que).

Vale lembrar que a prova de redação do Enem diferencia-se de outros exames por exigir a produção de texto “dissertativo-argumentativo” que apresente, obrigatoriamente, proposta de intervenção para o problema apresentado no enunciado. Assim sendo, todos os argumentos e ideias levantadas no decorrer do seu texto devem ter como objetivo solucionar o problema abordado por um tema de ordem geralmente social.

Viu só? A redação do Enem não é um bicho de sete cabeças, como muitos pensam. Os avaliadores não estão esperando algo genial ou inovador, mas um texto que cumpra satisfatoriamente os requisitos das cinco competências analisadas.

Para mais dicas como esta e para aprofundar seus conhecimentos em Língua Portuguesa, conheça nossa plataforma digital de estudos e prepare-se para arrasar no Enem!

Compartilhar:

4 comentários

  1. Tenho 14 anos e já ando estudando! Agradeço pelo conteúdo!

  2. Excelente artigo, gostei muito da explicação a respeito da competência número 5, ficou bem explicada e me tirou algumas dúvidas. Espero gabaritar nesse Enem.

  3. Muito bom, quando crescer quero ser como você…Prof.

Deixe uma resposta