Tudo sobre Acentuação Gráfica

A escrita nada mais é do que uma tentativa de representação da fala, do modo que pronunciamos as palavras. Nesse contexto, a tonicidade de cada palavra, ou seja, a sílaba mais forte, também deve ser indicada na escrita, mostrando se aquela vogal tem modulação aberta ou fechada. E a ferramenta disponível para essa tarefa é justamente a acentuação gráfica.

Como sabemos e podemos notar ao ler um texto qualquer, toda palavra possui uma sílaba tônica, porém nem sempre elas levarão acento. Por exemplo: nas palavras ‘ímpar’ e ‘parte’, a primeira sílaba é tônica, mas somente uma delas tem acento. Por quê? Veja ainda o caso das palavras ‘avó’ e ‘avô’. Sem acento, como diferenciaríamos as duas em uma frase? É aí que está a importância da acentuação gráfica.

São muitas as regras no português, porém, ao contrário do que muitos pensam, não é um assunto complicado. A Reforma Ortográfica da Língua Portuguesa trouxe algumas novidades nessa área, mas nada que um pouco de estudo e atenção não resolvam.

Sem mais delongas, vamos conhecer as regras e tudo o que você precisa saber sobre acentuação gráfica na Língua Portuguesa.

Monossílabas Tônicas

Como o próprio nome já diz, são palavras de uma única sílaba. Elas são divididas em dois tipos, de acordo com a intensidade com que são pronunciadas: tônicas e átonas. Veja o exemplo:

Isto é o melhor para nós dois.

Ninguém vai nos pegar!

As duas palavras destacadas possuem apenas uma sílaba. O que diferencia as duas é justamente a intensidade com que são pronunciadas. Nesse caso, fica claro que ‘nós’ é mais forte que ‘nos’. Ou seja, na primeira frase temos um monossílabo tônico, enquanto o segundo é átono.

Isso posto, como saber se a palavra leva acento ou não? Simples: acentuam-se todas as monossílabas tônicas terminadas em ‘a’, ‘e’, ‘o’, e ditongos seguidos ou não de ’s’.

Exemplos: pás, pé, só, céu

Tonicidade das Palavras

Quando nos referimos a tonicidade, existem três tipos de palavras:

  • oxítonas: a sílaba tônica é a última. Exemplo: praticar, dominó.

Devemos acentuar todas as oxítonas terminadas em ‘a(s)’, ‘e(s), ‘o(s), ’em’, ‘ens’ e ditongo:

Exemplos: Paraná, jacaré, cipó, também, chapéu.

  • paroxítonas: a partícula mais forte é a penúltima: Exemplo: caráter, mesa.

Acentuamos as palavras paroxítonas terminadas em ‘l’, ’n’, ‘r’, ‘x’, ‘i(s)’, ‘u(s)’, ‘ps’, ‘ã(s)’, ‘ão(s)’, ‘um’, ‘uns

Exemplos: pólen, álbum, táxi, bíceps, elétron, órgão

As paroxítonas terminadas em ditongos (encontro de duas vogais que pertencem à mesma sílaba), seguidas ou não de ’s’, também devem ser acentuadas.

Exemplos: água, área, série.

OBSERVAÇÃO: com o novo acordo ortográfico da língua portuguesa, foram abolidos os acentos de palavras paroxítonas que terminam em:

– ditongo aberto ‘oi’ e ‘ei’. Exemplos: jiboia, ideia.

– hiatos (quando vogais estão juntas porém em sílabas separadas) ‘i’ e ‘u’ precedidos de ditongo: Exemplos: feiura, baiuca.

Vale lembrar: as mudanças são apenas para a escrita, a pronúncia permanece a mesma!

  • proparoxítonas: a tonicidade está na antepenúltima sílaba. Exemplo: ‘médico’ ou ‘bússola’

Acentuam-se todas as palavras proparoxítonas, sem exceção.

Exemplos: médico, músculo, gráfico.

Hiatos

As letras ‘i’ e ‘u’ na segunda vogal de um hiato receberão acento sempre que estiverem sozinhas na sílaba – seguidas ou não de ’s’ – e desde que não sejam seguidas de ‘nh’

Exemplos: faísca, baú, saídas

Porém, não haverá acento nesses hiatos quando ‘i’ e ‘u’ forem precedidos por letras idênticas ou se forem precedidas de ditongo.

Exemplos: xiita, mandriice, baiuca, feiura

De acordo com a nova ortografia, não há acento circunflexo nas palavras com hiatos ‘oo’ e ‘ee’, seguidas ou não de ’s’.

Exemplos: voos, enjoo, leem.

Acento Diferencial

A reforma ortográfica também eliminou o acento diferencial, que era usado para diferenciar palavras homógrafas, como ‘pelo’ (substantivo) e ‘pelo’ (preposição). O acento diferencial se mantém apenas nos seguintes casos:

  • Pode (verbo no presente) / Pôde (verbo no passado).
  • Tem (verbo na 3ª pessoa do singular) / Têm (verbo na 3ª pessoa do plural) e seus derivados.
  • Vem (verbo na 3ª pessoa do singular) / Vêm (verbo na 3ª pessoa do plural) e seus derivados.
  • Por (preposição) / Pôr (verbo).

Trema

O sinal de trema foi abolido da língua portuguesa. Sendo assim, palavras como ‘linguiça’ e ‘pinguim’ devem ser escritas sem qualquer indicação gráfica em cima do ‘u’. O trema se mantém apenas em palavras de origem estrangeira, como os nomes Müller e Bündchen.

Apesar de ser um assunto extenso, acentuação gráfica no português não deve ser encarada como uma matéria difícil. Além de prestar atenção às regras, ler é uma importante atividade para ajudar você a escrever cada vez melhor. Por isso, estude e leia muito! Desse modo, são grandes as suas chances de arrasar na próxima prova de português.

Separei pra você também um vídeo do meu canal sobre Acentuação Gráfica, confere lá 🙂

>>Assistir agora!<<

Aquele Abraço, Professor Noslen!

Compartilhar:

2 comentários

  1. Aos 53 anos e bom voltar a estudar. Obrigada professor!

  2. Vc explica melhor,muito obrigada

Deixe uma resposta